Versículos-chave: “Saindo, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria, e disse-lhe: “Siga-me”. Mateus levantou-se e o seguiu. Estando Jesus em casa, foram comer com ele e seus discípulos muitos publicanos e “pecadores”. Vendo isso, os fariseus perguntaram aos discípulos dele: “Por que o mestre de vocês come com publicanos e ‘pecadores’?” Ouvindo isso, Jesus disse: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’. Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores” Mateus 9:9-13

Durante este próximo mês, estaremos estudando juntos o evangelho de Mateus. Hoje, como uma introdução, iremos considerar juntos o autor deste evangelho.

Mateus nasceu um levita. Conseqüentemente, teria sido esperado dele continuar a linha da família e se tornar um sacerdote. Não havia trabalho mais respeitável para qualquer um em Israel. Desde uma idade jovem, ele teria aprendido as escrituras hebraicas com seu pai, preparando-se para o dia em que ele também ministraria no templo.

Não temos certeza do que aconteceu na vida de Mateus para tirá-lo deste percurso, mas ele passou de seguir a posição mais respeitada em Israel para um dos mais odiados. Mateus tornou-se um cobrador de impostos. Os cobradores de impostos eram odiados pelas pessoas, porque não só cobravam dinheiro para Roma, mas cobraram além disso para encher seus próprios bolsos.

Mateus era responsável por cobrar impostos na agitada cidade de Cafarnaum, situada na costa noroeste do mar da Galiléia. Conseqüentemente, sua principal fonte de renda teria sido de pescadores.

Se estivéssemos reunindo um grupo de doze discípulos, Mateus não estaria em nosso radar. Ele foi um traidor e um pecador. Pelo menos quatro dos discípulos de Jesus eram pescadores, as pessoas das quais Mateus havia roubado. Simão, outro dos discípulos era um zelote. Eles declararam guerra aos cobradores de impostos. Chamar Mateus para o grupo não fazia nenhum sentido, era como se Jesus estivesse procurando problemas. Mais uma vez, lembramos que Deus não olha a nossa circunstância presente, mas o nosso coração.

Jesus disse a Mateus: “Siga-me”, e foi o suficiente para ele deixar tudo para trás instantaneamente. Duas palavras de Jesus e Mateus deixou sua vida pecaminosa para se tornar um discípulo de Jesus. Em seguida, Mateus respondeu do jeito que todas as pessoas deveriam quando encontrarem com Jesus. Ele queria que todos eles conhecessem o seu encontro também. Mateus convida todos os coletores de impostos e pecadores que conhecia para vir e jantar com Jesus. Mateus sabia que, se Jesus podia mudar sua vida, ele também poderia mudar a deles.

Mateus passou os próximos três anos de sua vida seguindo Jesus. Ele andou por toda a terra prometida. Ele viu com seus próprios olhos os milagres que Jesus realizou, incluindo os que não foram registrados nas Escrituras. Ele ouviu atentamente todas as suas palavras e ensinamentos. Ele fez anotações enquanto Ele pregava para não esquecer suas palavras (Mateus é o único escritor do evangelho a incluir o sermão do monte completo). Dos 1.068 versos no evangelho de Mateus, 644 contém palavras reais de Cristo. Três quintos das palavras no evangelho de Mateus são na verdade de Jesus. Mateus assistiu a maneira como Jesus amou as pessoas e amou seu Pai. Ele o viu acalmar a tempestade, expulsar demônios, curar os doentes e ressuscitar os mortos. Ele viu Jesus morrer e o viu vivo após a ressurreição. Mateus foi uma testemunha de primeira mão de tudo o que Jesus disse e fez.

Acredito que a motivação de Mateus ao escrever seu evangelho foi a mesma razão pela qual ele convidou todos os amigos para jantar com Jesus. Ele queria que o mundo reconhecesse Jesus e o seguisse. Ao longo do próximo mês, estarei orando para que o testemunho pessoal de Mateus possa aprofundar nossa fé em Jesus como o Espírito Santo o revela para usar através das palavras inspiradas em Mateus.

Read in English

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

Malcare WordPress Security