Leitura de hoje: Mateus 8:1-17 (leitura adicional: Salmo 9:13-20 e Provérbios 3:1-6)

Estaremos olhando hoje para três histórias: a de um leproso, a de um centurião e a de uma mulher. Todos são tão diferentes, mas eles pertencem juntos, já que nenhum deles pertencem a nenhum lugar. Eles são estrangeiros, todos eles. Não deve ser uma surpresa para nós encontrá-los agrupados aqui no livro de Mateus. Mateus sabe o que é ser rejeitado. Mateus também sabe o que é seguir Jesus e ser usado por Deus.

Também é importante notar que as primeiras pessoas que Mateus classificou como curadas por Jesus eram marginalizadas na sociedade judaica. Mateus, claro, estava escrevendo principalmente para uma audiência judaica. De imediato, ele deixa claro que o evangelho não é apenas para um grupo seleto.

Joseph Damien foi um missionário no século dezenove que serviu como ministro das pessoas com lepra na ilha de Molokai, no Havaí. Aquelas pessoas sofridas o amavam e reverenciavam sua vida de sacrificiu por eles. Uma manhã antes de Joseph levá-los em sua adoração diária; Ele estava derramando água quente em uma xícara quando esta girou e caiu sobre seu pé nu. Levou um momento para perceber que ele não sentiu nenhuma dor. Agarrado pelo medo súbito do que isso poderia significar, ele derramou mais água quente no mesmo local. Nenhuma dor que seja.

Damien imediatamente soube o que aconteceu. Enquanto ele caminhava choroso para entregar seu sermão, ninguém notou a diferença na linha de abertura. Ele normalmente começava cada sermão com “Meus companheiros crentes”. Mas naquela manhã ele começou com “Meus colegas leprosos”. (De Liderança, Primavera 97, de Ravi Zacharias em Deliver Us From Evil.)

Damien, como Jesus em nossa Escritura hoje, sabia que ministrar com compaixão significava que seria necessário tocar os outros em sua condição impura. O que Jesus fez por este homem é típico do que Ele fez por todos nós. Ele veio a este mundo para dizer: “Eu purificarei do pecado todos os que me invocarem pela fé e pedirem uma purificação”. Jesus está dizendo que não há ninguém que esteja longe demais para ser tocado por Sua graça.

Infelizmente, há pessoas cristãs que agem da mesma maneira que os fariseus fizeram. Nós não queremos tocar os estrangeiros. Damos uma olhada ao nosso redor, e vemos as vidas que são prejudicadas pelo pecado e, ao invés de ajudar aquelas vidas, comentamos sobre: ​​os casamentos quebrados, o problema das crianças e as vítimas do abuso de álcool e drogas. No entanto, o que fazemos? Nós viramos nossas costas. Nós percebemos se alguém não consegue fazê-lo, então é culpa dele ou o problema de outra pessoa.

Jesus não olhou para as pessoas desse jeito. Jesus os vê da mesma forma que Ele nos viu; Pecadores que precisam de um Salvador. Sua graça é ótima

Reflexão

Você está disposto a levar o evangelho a pessoas ‘de fora’?

Oração

Pai, obrigado por nos mostrar graça quando éramos forasteiros. Fora da comunhão com Você e ainda assim, Jesus veio para nos redimir e nos trazer de volta. Obrigado por Sua Graça. Em nome de Jesus, Amém.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!