Leitura de hoje: Números 15:17 – 16:40 (leitura adicional, Salmos 54:1-7 e Provérbios 11:5-6)

Versículo-chave: “Se, contudo, apenas uma pessoa pecar sem intenção, ela terá que trazer uma cabra de um ano como oferta pelo pecado.” Números 15:27

Todos ouvimos alguém nos dizer: “Sinto muito, não quis dizer isso” ou “Perdoe-me, não sabia que não deveria fazer isso ou aquilo”. Nós gostamos de desculpar muitas de nossas ações como “únicos erros”, “eu não sabia melhor” e “não é grande coisa”. Deus vê as coisas de forma diferente quando nos fala na leitura de hoje sobre nossos pecados não intencionais.

Lembramos que violar a lei significa quebrar a lei. Embora possa ter havido uma distinção em termos das conseqüências de pecados não intencionais e intencionais no Antigo Testamento, a Bíblia é clara, todos pecaram e ficam aquém da glória de Deus (Romanos 3:23). Um exemplo cotidiano poderia ser aplicado a um bilhete de excesso de velocidade. Se você ou eu for pego acelerando em uma zona escolar de 20 milhas por hora quando não percebemos que o limite de velocidade havia diminuído de 30 milhas por hora. Só porque não tínhamos consciência de que quebramos a lei naquele momento, ainda somos culpados de violar a lei e teremos que pagar a multa.

O apóstolo Paulo escreveu sobre sua própria vida em 1 Timóteo 1:13, “a mim que anteriormente fui blasfemo, perseguidor e insolente; mas alcancei misericórdia, porque o fiz por ignorância e na minha incredulidade.” Ele pensou que estava fazendo o bem, mas depois de uma revelação de Deus, ele percebeu o quanto seus atos tinham sido pecaminosos.

Muitos disseram: “Se a ignorância é bem-aventurança, é loucura ser sábio”, mas essa filosofia é contrária à Palavra de Deus e construída sobre um mal entendimento do amor de Deus. Baseia-se na ideia de que a lei de Deus é colocada lá para impedir a nossa diversão, quando, na realidade, está lá para que tenhamos uma vida frutífera e próspera que glorifique Deus. Quando ignoramos partes da Palavra de Deus para que possamos “fazer o que queremos”, também estamos ignorando as bênçãos que acompanham a obediência.

Assim como o salmista, devemos orar “Quem pode discernir os próprios erros? Absolve-me dos que desconheço!” Salmo 19:12

Reflexão

  • Como você pode estar ciente de pecados involuntários em sua vida?
  • Você tentou usar a desculpa de não saber para fazer algo que seu espírito lhe disse que estava errado?

Oração

Pai, Obrigado pelo total e completo perdão que temos em Cristo Jesus. Ajude-nos a ter uma paixão pela Sua Palavra e Sua Lei para que possamos viver por ela e guardar nossas vidas contra o pecado. Revela-nos as coisas de que devemos nos arrepender para que possamos viver a vida que Você nos chama a viver. Em nome de Jesus, Amém.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

Malcare WordPress Security