Leitura de Hoje: Ezequiel 27:1 – 28:26 (leituras adicionais: Salmo 111: 1-10 e Provérbios 27:15-16)

Como poderia um ser tão talentoso e confiável como Lúcifer (cujo nome significa “portador da luz” ou “filho da manhã”) causar a primeira divisão da igreja e levar um terço da congregação com ele? A Bíblia diz que ele era ‘a perfeição da sabedoria e da beleza’ (Ezequiel 28 versículo 12). Sua vestimenta era ‘adornada com toda pedra preciosa’ (v13), e Deus disse: ‘Eu te ordenei e ungi como o poderoso anjo guardião’ (v14). Então, o que deu errado?

Lúcifer poderia ter sido maravilhoso, mas ele deixou isso subir à cabeça. Ele começou a acreditar em seu próprio entusiasmo, como poderíamos dizer hoje. Ele era incrível, lindo e ótimo … mas ele não era divino. Por duas vezes a Bíblia diz que Deus o criou (versos 13 e 15); Lúcifer pode ter sido parte da maravilhosa criação de Deus, mas ele não era – e nunca poderia ser – Deus. Ele não existia antes de tudo; ele não tinha o poder de criar coisas incríveis – pessoas, animais, plantas, montanhas e mares – do nada. Lúcifer estava sujeito ao governo e autoridade de Deus, como qualquer outra pessoa.

Nesta passagem, Ezequiel enfatiza o tempo e novamente como o orgulho foi para a cabeça de Lúcifer. ‘Seu coração estava cheio de orgulho’, escreve Ezequiel, ‘por causa de toda a sua beleza. Você corrompeu sua sabedoria em prol do seu esplendor. Então eu te joguei na terra ‘(v17).

É uma lição impressionante e chocante para todos nós. Mesmo no lugar onde você poderia pensar que nenhum pecado poderia ser encontrado, Lúcifer começou a nutrir um sentimento de orgulho e egocentrismo. Ele deu uma longa e dura olhada em si mesmo no espelho, e gostou do que viu um pouco demais. Ele ficou cativado com seu próprio ego e “se ergueu com orgulho”.

CS Lewis observou certa vez: “A maneira mais certa de estragar um prazer é começar a examinar sua satisfação”. Nós devemos nos proteger contra isso. Tome o culto, por exemplo. Pode sempre nos ajudar a nos concentrar em Deus, pois cativa nossa consciência e olhamos para fora e para cima, em vez de para dentro. Nós só podemos fazer as coisas na força e no Espírito de Deus; mas se tirarmos os olhos de Deus e nos concentrarmos em nossos próprios dons, poderemos nos tornar tão autoconscientes que acabamos obcecados por nós mesmos. Consequentemente, nós nos tornamos obcecados por si mesmos, empurramos Deus para o lado e nos colocamos no centro do palco. Como vimos com Lúcifer, é o pecado original contra Deus. Não guardando a Deus em seu devido lugar.

Reflexão

  • Você empurrou Deus de lado?
  • Você pensa mais em si mesmo do que deveria?

Oração

Pai, obrigado que só tu és Deus. Ajude-nos a manter o foco em você e na sua glória. Ajude-nos a não permitir que nada ofusque nossa visão sobre você. Em nome de Jesus, amém

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!