Êxodo 16: 2-3 “No deserto, toda a comunidade de Israel reclamou a Moisés e Arão. Disseram-lhes os israelitas: “Quem dera a mão do Senhor nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!”   

Êxodo 16 nos diz que Israel estava no deserto a caminho de Canaã. Eles começaram a enfrentar algumas experiências muito amargas ao longo do caminho. A fome e a sede os assustaram ao ponto de começarem a pensar nos tempos em que eles costumavam sentar ao redor das panelas de carne do Egito e cantar e comer. Eles ficaram desanimados antes mesmo que eles realmente tivessem começado. Só haviam estado na estrada apenas alguns dias, e a poucos quilômetros do Sinai. No entanto, por terem perdido uma refeição ou duas, eles queriam voltar para os campos de escravos do Egito.

Há uma história de um burro de um fazendeiro que caiu em um poço. O animal chorou desesperadamente por horas enquanto o fazendeiro tentava descobrir o que fazer. Finalmente, ele decidiu que o animal era muito antigo, e o poço precisava ser coberto de qualquer maneira; Não valia a pena recuperar o burro. Ele convidou todos os seus vizinhos a vir e ajudá-lo. Todos agarraram uma pá e começaram a jogar terra no poço. No começo, o burro percebeu o que estava acontecendo e chorava horrivelmente. Então, para o espanto de todos, ele se acalmou. Poucas cargas de pá mais tarde, o fazendeiro finalmente olhou para o poço. Ficou atônito com o que viu. Com cada pá de sujeira que bateu nas costas, o burro fazia algo incrível; Ele se sacudia e dava uma volta. À medida que os vizinhos do fazendeiro continuavam a jogar a terra no topo do animal, ele sacudia e dava uma volta. Em breve, todos ficaram maravilhados quando o burro subiu a ponta do poço e felizmente trotou.

Quando a vida nos joga terra, temos duas opções; permitr que nos enterremos vivos ou sacudir e permitir que a terra nos levante até o próximo nível de nossa caminhada. Os hebreus preferem voltar para a escravidão do que pagar o preço da vitória. Muitas vezes, agimos como os filhos de Israel e preferimos voltar para a escravidão do que lutar pela vitória. Muitas vezes, preferimos nos contentar com a mediocridade, do que procurar a busca e a posse da Terra Prometida.

É fácil desistir, mas como discípulo de Jesus, somos chamados de sacudir o pó, mantendo nossos olhos fixos em Jesus.  Paulo então escreve: “Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, 14 prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.” (Filipenses 3: 13-14)! 

Ao executar uma corrida, nós fixamos nossos olhos no objetivo, não olhamos para trás. Os hebreus estariam em uma posição melhor se tivessem seus olhos e mentes fixos na Terra Prometida, em vez de em seu passado.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

Malcare WordPress Security