Versículos-chave: “Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Dêem graças em todas as circunstâncias, pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.” 1 Tessalonicenses 5:16-18

Há pelo menos três tipos de oração. 1) A oração da crise. (Quando nós só clamamos diante da aflição, doença ou problemas gerais.) 2) A oração do ‘eu quero’. (Quando queremos que Deus faça algo por nós, um trabalho novo, uma casa maior, etc) e 3) A oração de afinidade. (É apenas parte de nós, porque amamos conversar com o Pai.)

Há uma história supostamente real de uma mulher galesa que vivia em um vale remoto no País de Gales. Ela teve grande dificuldade e despesas para ter energia elétrica instalada em sua casa. No entanto, depois de alguns meses, a companhia elétrica notou que ela não parecia usar muito eletricidade.

Pensando que poderia haver um problema com a conexão, eles enviaram um leitor de medidor para verificar o assunto. O homem veio até a porta e disse: “Nós viemos apenas verificar o seu medidor e parece que você não está usando muita eletricidade. Há algum problema?”
“Oh, não”, disse ela. “Estamos bastante satisfeitos. Nós acendemos as luzes elétricas a cada noite para ver como acender nossas velas e então desligamos novamente.”

Agora, por que esta mulher não fez mais uso de sua eletricidade? Ela acreditava em eletricidade. Ela acreditava nas promessas da empresa de energia elétrica quando disse a ela sobre isso. Ela teve uma grande quantidade de trabalho e despesa para ter fiação em sua casa, mas ela não entendeu o potencial de ter energia elétrica em sua casa e, consequentemente, ela usou seu poder com moderação.

Eu suspeito que existem muito poucas pessoas que lendo isto que usam a oração com moderação. Há uma grande diferença entre orar só porque quer ou precisa de algo e fazer da oração parte da nossa vida.

Daniel é um exemplo de alguém que fez da oração parte de sua vida. Daniel orava 3 vezes por dia. Ele orou em seu quarto. Ele orou na cova do leão. Ele orou por sabedoria. Ele orou por orientação. Ele orou para que Deus perdoasse os pecados de Seu povo Israel e os retornasse à sua casa e orou durante 21 dias em Daniel 10, em relação a uma visão.

Se estamos subestimando o poder da oração em nossas vidas, é mais provável, porque não estamos orando da maneira que Deus planejou. A.W. Tozer ensinou: “Desejar avivamento … e ao mesmo tempo negligênciar oração (pessoal) e devoção é desejar andar de uma forma e caminhar de outra.”

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

Malcare WordPress Security