Versículo Chave: “Da mesma forma, depois da ceia ele tomou o cálice e disse: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue; façam isto, sempre que o beberem, em memória de mim”. 1 Coríntios 11:25

Os discípulos na estrada de Emaús estavam retornando de Jerusalém depois de celebrar a Páscoa. Quando Jesus revelou-se aos discípulos, uma passagem que podemos ter certeza que ele usou foi a da Páscoa. Lucas 24:30 diz: “Quando estava à mesa com eles, tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu a eles.” Estas palavras devem ser muito familiar para nós. Eles instantaneamente nos lembram Lucas 22:17-20, onde Jesus celebrou a Páscoa com seus seguidores na ‘ultima ceia’.

“Depois de tomar o cálice, deu graças e disse:“Tomai e reparti-o entre vós. Pois vos digo que não beberei mais do fruto da videira, até o reino de Deus venha.”
E ele tomou o pão, deu graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: “Este é o meu corpo entregue por vós; fazei isto em memória de mim.” Da mesma forma, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue, que é derramado por vós.”

Jesus estava novamente os lembrando que ele era o cumprimento do que Deus tinha prometido muitos anos antes. Na verdade, foi sobre o quebrar o pão que os dois discípulos reconheceram Jesus.

Nós muitas vezes perdemos o significado de muitos elementos da Páscoa porque é incomum para nós, mas a Páscoa foi celebrada por judeus durante milhares de anos. É um mandamento para lembrar como Deus redimiu o povo judeu da escravidão no Egito. A celebração se concentra no cordeiro pascal. Um cordeiro sem defeito foi sacrificado e seu sangue colocado nos umbrais como um sinal de fé, para que o Senhor passasse as casas dos judeus durante a última praga derramada sobre os egípcios.

No Novo Testamento, Jesus é introduzido por João Batista como “o Cordeiro de Deus!” (João 1:36). Além disso, 1 Pedro 1:18-19 faz referência direta a Páscoa em relação a nossa salvação, dizendo: “Pois vocês sabem que não foi por meio de coisas perecíveis como prata ou ouro que vocês foram redimidos da sua maneira vazia de viver que lhes foi transmitida por seus antepassados, mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha e sem defeito.”

Na sexta-feira, quando Jesus foi crucificado, foi também o dia em que o cordeiro pascal foi sacrificado. Para os 1.200 anos anteriores, o sacerdote sopraria a trombeta às 3:00 pm – o momento em que o cordeiro foi sacrificado, e todas as pessoas paravam para contemplar o sacrifício pelos pecados em nome do povo de Israel. Foi às 3:00, enquanto Jesus estava sendo crucificado, Ele disse: “Está consumado”

Cristo tornou-se o sacrifício perfeito pelo qual somos salvos.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

Malcare WordPress Security