Leitura de hoje: Mateus 9:18-38

Versículos-chave: “Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças. Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. Então disse aos seus discípulos: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita”. Mateus 9: 35-38

Em Mateus 9: 35-38, vemos algo crucial sobre a maneira como Jesus conduziu seu ministério. Jesus foi (35), ele viu (36), ele teve (36) e Ele disse (37).

Cristo foi ao povo (vs. 35)

Jesus assumiu a responsabilidade primária de ministrar às necessidades espirituais do povo indo até elas. Cristo entrou intencionalmente na vida dessas pessoas. Ele adorava com eles nas suas sinagogas. Ele foi a casamentos com eles, trabalhou com eles em seus barcos de pesca. Ele ajudou a colher os frutos do campo. Ele riu com eles quando um dos deles fez uma piada, e Ele chorou com eles quando alguém que amava morreu. Cristo sabia quem eles eram e suas dores pessoais porque ele entrou intencionalmente em suas vidas diárias. Se Jesus foi para as pessoas, então, por que passamos tanto tempo sentado na igreja, esperando que eles venha até nós? Se Jesus foi aos necessitados, por que passamos tanto tempo a evitá-los?

Cristo realmente os viu (36)

Há uma diferença entre ver uma pessoa e ver quem são realmente! Cristo os viu individualmente. Ele não viu apenas um monte de pessoas em uma multidão. Ele olhou para cada alma. Toda pessoa que conhecemos é única. Aprendi que não existe uma pessoa sem-teto, um traficante de drogas ou um alcoólatra. Jesus não olha para estereótipos; Ele vê as almas.

Ele teve compaixão deles (36)

“Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor.” (36) Uma tradução literal seria “Ele foi agarrado com compaixão”. O verbo grego significa sofrer por dentro, literalmente a declaração é que Suas entranhas foram movidas dentro dele. O entendimento grego era que as entranhas eram consideradas como a sede da paixão violenta, como raiva ou amor. Nós, como a igreja, não devemos apenas estar comprometidos com as pessoas, mas devemos ser movidos interiormente com compaixão por elas.

Então ele disse (37)

Jesus teve a experiência de primeira mão da vida real com as pessoas antes de ter a capacidade de transmiti-lo aos discípulos. Jesus caminhou em seus sapatos. Ele não apresentou uma apresentação clara e poderosa do que seria necessário para ser eficaz em ministrar a eles, a menos que pessoalmente tivesse passado pelo processo! Até que ele visse as pessoas, até sentir suas necessidades, até que experimentasse sua dor ou até que ele estivesse agarrado por compaixão.

Jesus estabeleceu um modelo para que possamos seguir no ministério. Jesus disse: “A colheita é abundante, mas os trabalhadores são poucos”. Estamos dispostos a nos juntar a Ele em Sua colheita?

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

WordPress Security