Versículo Chave: “Preguei em primeiro lugar aos que estavam em Damasco, depois aos que estavam em Jerusalém e em toda a Judéia, e também aos gentios, dizendo que se arrependessem e se voltassem para Deus, praticando obras que mostrassem o seu arrependimento.” Atos 26:20

Nos próximos dias, estaremos considerando as marcas ou frutos do verdadeiro arrependimento. Todos nós conhecemos pessoas que afirmam ter se arrependido de suas ações, mas não têm os frutos que demonstram a realidade do arrependimento.

Produzir de frutos é um aspecto vital da nossa fé. Você se lembra o que João Batista disse aos fariseus e saduceus, enquanto pregava sobre arrependimento? Mateus 3: 7-8 “Quando viu que muitos fariseus e saduceus vinham para onde ele estava batizando, disse-lhes: “Raça de víboras! Quem lhes deu a idéia de fugir da ira que se aproxima? Dêem fruto que mostre o arrependimento!” João Batista estava lembrando a eles e a nós que o arrependimento não é sobre simplesmente dizer muito, mas que o verdadeiro arrependimento sempre produz fruto. Paulo faz eco deste ensinamento em Atos 26:20.

O primeiro fruto do arrependimento genuíno que vamos considerar hoje envolve o sofrimento sincero. O arrependimento começa com um coração que sofre quando confrontado com a realidade que estamos vivendo longe dos padrões de Deus. 2 Coríntios 7:9-10 diz, “A tristeza segundo Deus produz um arrependimento que leva à salvação e não remorso, mas a tristeza segundo o mundo produz morte. Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito.”

Em 1583 o Catecismo de Heidelberg foi publicado para responder à perguntas fundamentais da fé cristã. Pergunta 88 diz: Em quantas coisas o verdadeiro arrependimento consiste? Resposta: Em duas coisas: a morte do velho homem e o despertar do novo. Pergunta 89 diz: O que é a morte do velho homem? Resposta: sofrimento sincero contra o pecado, nos levando a odiar e nos desviar dele sempre mais e mais.

É por isso que o verdadeiro arrependimento não pode nunca ser bem sucedido sem recorrer a Deus. Davi clamou em Salmos 51:10: “Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova um espírito inabalável dentro de mim.” Davi sabia que ele nunca poderia mudar suas ações e atos se seu coração permanecesse o mesmo. Ele entendeu que o homem natural não odeia o pecado, ele adora.

Em arrependimento, trocamos um amor sincero pelo pecado por um ódio sincero pelo pecado e trocamos um ódio sincero por Deus e seus caminhos por um amor sincero para com Ele. Começamos a perder o prazer nas coisas terrenas que uma vez desejamos e passamos a ter grande alegria em servir, obedecer, amar e conhecer a Deus.

Pin It on Pinterest

Share This

Share This

Share this post with your friends!

WordPress Security